Secretaria de Saúde de Caruaru recomenda atualização da vacina tríplice viral

PUBLICIDADE

A vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), disponível no Sistema Único de Saúde (SUS), deve estar atualizada, segundo alerta do Ministério da Saúde. Doenças como sarampo e rubéola, eliminadas no Brasil desde 2001 e 2010, estão voltando a circular no país. Segundo último Boletim da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), em 2018, oficialmente, 45 casos de sarampo se confirmaram em sete países da Região das Américas. Todos esses casos confirmados, ou tiveram relato de infecção em outros continentes (fora da América), ou tiveram local provável de infecção desconhecido.

No Brasil, os últimos casos da doença haviam sido registrados no ano de 2015, em surtos ocorridos nos Estados do Ceará (211 casos), São Paulo (2) e Roraima (1). Em 2016, o Brasil recebeu o Certificado de Eliminação do Sarampo pela OMS, declarando a região das Américas livre do sarampo. Apesar da emissão desse certificado, atualmente o risco de reintrodução do sarampo no nosso estado é elevado, devido à confirmação de casos em Roraima. O surto nesse estado está relacionado à epidemia que ocorre na Venezuela, desde julho de 2017, onde se registraram 90 casos confirmados. Devido à crise político-econômica nesse país, houve um aumento da imigração de Venezuelanos para o Brasil, elevando o risco de disseminação do sarampo no território brasileiro, o que de fato ocorreu.

Diante dessa ocorrência e do grande fluxo de viajantes entre Pernambuco e as regiões de países afetados, a Secretaria Estadual de Saúde, através da Secretaria de Saúde de Caruaru, alerta sobre o risco de reintrodução do vírus do sarampo no estado e recomenda a atualização vacinal.

A principal forma de prevenção do sarampo é por meio da imunização. Nesse sentido, é recomendado a população, considerando os critérios do quadro abaixo, que mantenha o esquema vacinal para esta doença sempre atualizado, seguindo as seguintes orientações:

– Indivíduos de 12 meses a 4 anos de idade: 2(duas) doses, a 1ª dose com tríplice viral aos 12 meses de idade e a 2ª dose deve ser realizada aos 15 meses de idade com tetra viral;

– Indivíduos de 5 a 29 anos de idade não vacinados: 2 (duas) doses de tríplice viral com intervalo mínimo de 30 dias entre as doses;

– Indivíduos de 30 a 49 anos de idade não vacinados: 1 (uma) dose de tríplice viral;

– Profissionais de saúde não vacinados: 2 (duas) doses com a vacina tríplice viral independente da idade.

Nessa atualização da vacina contra o sarampo é importante atuar principalmente nos grupos populacionais historicamente considerados de maior risco de adquirir a doença, tais como:

– Crianças de 12 meses a menos de 5 anos;

– Viajantes que se dirigem aos locais onde circula o vírus: Atualização do cartão de vacina de pessoas (entre 1 e 49 anos) que vão viajar para países onde circula o vírus do sarampo, bem como para os estados da região Norte do Brasil;

– Profissionais de saúde: por ser a linha de frente no contato com o doente na fase de transmissão;

– Trabalhadores que tem mais possibilidade de contato com viajantes: trabalhadores de aeroportos, portos, rodoviárias; de agencias de turismo, rede hoteleira, motoristas de Taxi/Uber/outros, trabalhadores do sexo, caminhoneiros, etc.

Em Caruaru, a vacinação deve ser feita nos Centros de Saúde e PSF´s do município.

PUBLICIDADE